Rede social: Sites como o Orkut podem ajudar a ter um bom emprego

terça-feira, 25 de maio de 2010

O nosso amigo Zé acorda cedo quase todos os dias para sair entregando cópias e mais cópias do seu currículo por aí. Ele já fez um pouco de tudo na vida e experiência é o que não falta na vida dele. Acontece que o Zé se esqueceu de um ponto que algumas empresas vêm considerando na hora de contratar novos funcionários: seus perfis em sites de relacionamentos. Por não ter levado em consideração este fato, o perfil do Zé no Orkut é algo fora do comum.

São mais de seiscentas comunidades, algumas falando sobre o Corinthians, time do coração. Outras que foram criadas para demonstrar todo o amor que o Zé e os outros membros têm pela americana Pamela Anderson. Mais outra comunidade sobre algumas escatologias e jogos violentos. Na descrição do “Quem sou eu” do Zé ele se define como um sujeito bastante tranquilo, sem preconceitos que adora um pagodinho no final de semana com os amigos, sem faltar aquele futebol. Ele mencionava também que para ele, lugar de mulher era no fogão e que homossexuais não deveriam dividir o mesmo espaço com os heterossexuais. Isso é não ter preconceito, Zé?
Enquanto descia pela página do perfil de Zé, o Dr. Freitas, responsável pelo setor de recursos humanos da empresa em que Zé esteve pela manhã, pensava “Meu Deus! Como pode? O sujeito pareceu ser super educado e escreve essas besteiras na internet?”. Sem pensar duas vezes, Freitas clicou no “X” no cantinho esquerdo da janela e puxou outro currículo da pilha.
Esta pequena história serve para ilustrar as situações que vêm acontecendo nos últimos tempos em algumas empresas pelo Brasil e no mundo. Com a proliferação de redes sociais de todos os tipos, é inevitável que um empregador cheque as informações sobre comportamento e outros fatores a respeito de um funcionário em potencial. Acontece que muita gente ainda não reparou nisso e continua a tratar seus perfis como um catálogo de malandragens.

Um perfil bem apresentado pode causar boa impressão nos seus futuros chefes, portanto fique ligado nas dicas que o Baixaki preparou para que você não perca mais oportunidades!

Comunidades

É muito divertido fazer parte de uma delas, ainda mais quando seus amigos também fazem parte. Elas podem tratar exatamente de qualquer assunto, dos mais inocentes até os mais escandalosos. Contudo, é preciso ter muito cuidado ao entrar em comunidades virtuais. Algumas podem denotar algumas afinidades suas que não são muito convenientes demonstrar por aí. Por exemplo, entrar em comunidades que possam ter como título “Eu odeio meus pais”, “Não aceito hierarquias!” ou qualquer outra que tenha títulos ofensivos, podem demonstrar coisas que você não queria.

Viver em grupo é uma necessidade que as pessoas têm. E estes grupos são formados por afinidade tanto entre as pessoas quanto pelo tema ou objetivo pelo qual elas estão juntas. Se este tema/objetivo é saudável ou não causa nenhum tipo de ofensa, é totalmente recomendável participar deste tipo de grupo. Temas de comunidade que lembrem coisas boas ou até mesmo culturais são um ótimo indicador de que você pode ser um bom funcionário. Mostrar que você é bem humorado também pode ser uma boa alternativa, mas não confunda bom humor com fanfarronices ou infantilidades.

Procurar comunidades que tenham a ver com a sua profissão ou área de interesse é altamente recomendado, afinal quem quer procurar gente para trabalhar ou verificar perfis de candidatos, deve perceber que você é uma pessoa que tem interesse e gosta do que faz, do contrário não haveria motivo para que você procure emprego, não é mesmo?

Digamos que você seja um jornalista em busca de um emprego ou até mesmo de um trabalho como freelancer (pessoa que executa um trabalho remunerado apenas uma vez para algum veículo ou empresa), uma boa comunidade para você participar são aquelas que tenham no título “Empregos para Jornalistas – Curitiba”, “Trabalhos para freelancer – São Paulo” ou coisa parecida.

Quem sou eu?

Esta é uma parte importantíssima do seu perfil que não deve ser preenchida com quaisquer besteiras. Este espaço deve ser usado para você definir de maneira sucinta como você se vê, quais atividades gosta de fazer e até mesmo fazer uma citação de algum autor que seja o seu favorito. É complicado fazer uma recomendação muito fechada do que você deve ou não deve colocar no seu perfil, afinal são questões muito pessoais e subjetivas. Mas podemos enumerar algumas coisinhas que podem ajudar muito.
Pontos positivos

- Áreas de interesse;
- Informações sobre o seu temperamento;
- Idiomas que você fala (quanto mais idiomas, melhor para você!);
- Colégios e Universidades em que estudou;
- Hábitos saudáveis;
- Escrever corretamente;

Pontos negativos

- Escrever com muitas abreviações e gírias (incluindo o “miguxês”);
- Revelar comportamentos incompatíveis ou má conduta;
- Fazer apologia ao uso de drogas;
- Incentivar práticas violentas ou preconceituosas;
- Desenhos feitos com caracteres (isto pode atrapalhar bastante na leitura do seu perfil);
- Evite clichês;

O álbum de fotos

Aquela festa, o churrasco com os amigos da faculdade, o seu cachorro dormindo, aquele dia em que você se reuniu com suas amigas para fazer maquiagens... Tudo isso e mais um pouco está no seu álbum do Orkut? Natural. Dependendo da faixa etária do usuário, algumas fotos e comportamentos são completamente aceitáveis. Contudo, vale lembrar que fotos que poderiam estar nas capas de revistas masculinas não são vistas com bons olhos pela empresa. No caso dos rapazes, aquela foto da pirâmide de latinhas de cerveja com os seus amigos de sunga branca deve estar em um álbum bloqueado para quem não está na sua lista de amigos.
Todos sabem que mostrar as fotos com amigos, família e coisas do tipo é algo impossível de conter, mas é preciso ter bom senso. Pense que as suas fotos revelam muito sobre quem você é, até mais do que a sua descrição do perfil. Neste caso cabe aquele velho clichê (pedimos perdão) “Uma imagem vale mais do que mil palavras”. Se você disse ser uma pessoa bem humorada, que tem muitos amigos mas sabe a hora de falar sério, é normal ter fotos de festas. Principalmente se você estiver na faixa etária dos 20 aos 30 anos. Entretanto, aquela foto que você tirou na formatura do seu primo com a gravata pendurada na cabeça e uma dose tripla de whisky no copo não cairá bem se ficar exposta para todos.

O ponto principal é você conseguir demonstrar bem quem é sem parecer artificial ou forçado. Os seus futuros chefes saberão se você é aquilo tudo que disse no perfil ou não, portanto não minta!

Quem você conhece?

É com esta pergunta que o site de relacionamentos mais acessado do Brasil convida seus usuários. Enquanto o site era restrito aos usuários que eram convidados o funcionamento era bastante calmo, ou seja, as pessoas costumavam adicionar à sua lista de contatos quem elas conheciam na vida real ou gostariam de conhecer. Até aí o Orkut contava com usuários que tinham um nível de proximidade entre si. Contudo, depois da liberação do site para qualquer um, parece que uma competição por amigos foi iniciada. Vencia quem tivesse o maior número de amigos e perfis lotados.

O número de amigos no Orkut pode dizer coisas ao seu respeito. Se você tem um número nem muito baixo nem muito alto, não se sinta impopular ou rejeitado, você está no caminho certo. Ter em torno de cem pessoas na sua lista é completamente aceitável, afinal você pode ter encontrado colegas de escola, cursinho, universidade e ter os contatos da sua família também. Agora, se você tem três perfis lotados – lembrando que um perfil fica lotado com 1.000 contatos – a história muda de cenário. Você pode ser extremamente popular, mas colecionar vários perfis lotados já é exagero e isso é muito aparente!

Se você quer criar boas oportunidades para a sua carreira, procure comunidades de empresas da sua área, seus ex-chefes, ex-colegas de trabalho. Lembre-se de nunca fechar portas ou, utilizando uma frase americana, “Never burn the bridges you walked. You may need them again.” (Nunca queime as pontes pelas quais você passou. Você pode precisar delas novamente).
Agora que você já sabe o que fazer para que o seu caso não termine como o do Zé, reveja o seu perfil e observe se precisa melhorar alguma coisa. Além do Orkut, outras redes sociais podem ajudá-lo, fique de olho em serviços como o LinkedIn e Facebook. É sempre bom diversificar as maneiras de fazer contato com outras pessoas!

0 comentários:

Postar um comentário

 
Twitte News | by TNB ©2010